Nuno Costa, Psicólogo Clínico. Membro Efetivo da Ordem dos Psicólogos. Consultas de Psicologia Clínica.
Membro Filiado Internacional da APA (American Psychological Association).
 
 
 
 

Sintomas de Depressão

 
A depressão é um problema psicológico que pode assumir diversas configurações clínicas. No entanto, quando utilizamos esta palavra estamos, normalmente, a referir-nos ao quadro que é conhecido como Perturbação Depressiva Major.

Como é que eu consigo saber se poderei precisar de recorrer a um psicólogo para o tratamento de uma Perturbação Depressiva Major?
Estado de desânimo ou irritabilidade durante maior parte do dia; perda de interesse ou prazer em realizar as coisas que anteriormente gostava de fazer; aumento ou perda de peso corporal superior a 5% (ou alteração significativa do apetite); sono perturbado com menos horas ou mais horas do que aquilo que seria habitual para a pessoa em questão (isto é: insónia ou hipersónia); agitação ou lentidão superiores ao habitual na execução de tarefas do dia-a-dia; notória perda de energia acompanhada por uma sensação de fadiga; sentimentos invasivos de falta de valor ou de culpa excessiva; dificuldade marcada em manter a concentração ou em tomar decisões; pensamentos relacionados com a morte (no sentido de a temer, no sentido de fantasiar com o suicídio ou no sentido de elaborar um plano concreto para se matar).



Quando pelo menos cinco deste conjunto de nove sintomas estão presentes durante a maior parte do dia ao longo de pelo menos duas semanas consecutivas, isso constitui um forte indicador de que provavelmente está a atravessar um episódio depressivo que requer adequado tratamento realizado por um psicólogo. Esse tratamento pode requerer ou não o acompanhamento de outros profissionais de saúde, dependendo do grau de severidade e desestruturação causada pela depressão e das motivações e preferências da pessoa em questão.

A depressão é um problema clínico que a maior parte das vezes requer uma abordagem psicoterapêutica adequada, de forma a ajudar a pessoa a corrigir de forma estável e duradoura os padrões de pensamento negativos que mantém sobre si, sobre a sua relação com os outros e sobre o seu futuro.

Os quadros depressivos possuem uma configuração sintomática e curso temporal muito variáveis de pessoa para pessoa e de episódio para episódio, pelo que um diagnóstico e tratamento corretos apenas podem ser realizados por um profissional de saúde mental devidamente habilitado.

Para além da perturbação depressiva major, existem outros problemas psicopatológicos que beneficiam bastante de um adequado acompanhamento psicológico, como é o caso das perturbações bipolares (anteriormente conhecidas como psicose maníaco-depressiva) e dos problemas relacionados com as experiências de luto (que hoje em dia estão excluídas do diagnóstico formal no DSM V).

Veja a secção Tratamento – Psicologia Clínica.